segunda-feira, 24 de março de 2014

Trombofilia

Depois do nascimento prematuro do Nathan, uma das perguntas que mais nos atormentava responder era: porque?! Qual a causa dele ter nascido prematuro?! Bem, demorou 3 anos, mas enfim descobrimos! Não que eu não tenho ido no médico durante esse tempo, eu fui, fiz preventivos, mas não investigamos mais esse problema e agora, resolvemos fazer isso. O médico desconfiou da trombofilia, causa de muitos abortos ou partos prematuros, e batata, ele estava certo! Felizmente ou infelizmente?!

Felizmente, porque descobrimos e podemos tratar e tem tratamento! Felizmente porque sabendo a causa, podemos tratar o problema e tentar evitar um sofrimento, o que também não está descartado! Felizmente, porque pudemos relembrar de novo da fidelidade e amos de Deus, vendo nosso filho como um verdadeiro milagre! 

Explico: ou tento explicar com uma linguagem mais fácil. Quem tem trombofilia tem um problema de coagulação do sangue, uma predisposição a trombose. As mulheres grávidas na gestação tem esse risco, as que tem trombofilia tem um risco a mais. Os coágulos na placenta impedem a boa oxigenação e são causa de abortos inexplicáveis, aparentemente sem razão ou partos prematuros. 

Ainda não sei detalhes a respeito, mas sei que tem tratamento: uma injeção de anticoagulante por dia durante toda a gestação e até uns dias depois do parto. Com esse acompanhamento as chances de tudo dar certo são muito grandes. As injeções tem um custo de 30 a 50 reais por dose, às vezes se consegue pelo Estado, às vezes não! 



Tudo isso, inicialmente, me pareceu um banho de água fria! Mas pensando, refletindo, vejo que foi felizmente mesmo! Saber de tudo isso permite nos preparar, avaliar e estar prontos para qualquer situação! Não saber ou saber de susto poderia ser muito pior.

terça-feira, 11 de março de 2014

Por entre os muitos dilemas...

Há tempos venho ensaiando pra escrever um post com esse assunto, mas não sabia bem o que escrever e confesso que ainda não sei... Ser mãe é uma das coisas mais maravilhosas e mais difíceis que exitem! Isso é um clichê e quase tudo que se fale sobre esse assunto é clichê: alguém, algum dia em algum lugar já disse! 

Ser mãe é com certeza um divisor de água na vida das mulheres. Claro, não daquela que vai gerar, carregar, parir e só. Dessa não, a vida dessa continua como se nada de relevante tivesse acontecido. Mas da maioria das mulheres, a vida muda! Vemos as coisas com o olhar diferente e começam inúmeros dilemas e dúvidas, medos, incertezas que vamos levando dia-dia com conselhos dos mais experientes, com leituras, com intuição. Uns sentimentos passam, vem outros novos.

Aí a gente tem que encontrar o equilíbrio entre ser mãe e ser mulher. De tantos dilemas, o que me martela ultimamente dia após dia na cabeça é: trabalhar ou ficar em casa?! Nunca fui dessas mulheres prendadas que amam as lides do lar, faço o feijão com arroz, o basicão mesmo, por isso desde sempre trabalhei. Mas meu trabalho atual exige que eu fique mais ou menos 10 horas fora de casa, e tenho tido uma grande dificuldade de lidar com isso. O tempo que me resta é curto pra conseguir educar, amar, brincar, fazer tarefa, cuidar de algumas coisas que só a gente faz na casa, fazer pilates, volei, ir ao estudo bíblico, ao ensaio de música, a uma janta em algum amigo. Sem falar em ler um livro, ver uma série ou cuidar de mim. Qualquer compromisso a
mais tem sido um fardo. Não pensem que consigo fazer tudo isso que listei aí, sempre, toda semana, alguma dessas atividades ficam prejudicadas. Prioridades. Pra mim, tudo ali é prioridade, mas as coisas que envolvem o Nathan, dado o tempo que fico longe dele, vão sempre pro topo da lista.

Sem contar no dilema de às vezes perder coisas tão simples como vê-lo acordar, levá-lo pra escola, almoçar com ele, por pra dormir a soneca da tarde...são pequenos momentos no dia dia que vou "perdendo"...

Aí tem o outro lado: a carreira. De vento em popa, com todo o gás, emprego bom, salário bom...até ouço vozes dizendo "Você é doida, não pode largar tudo, não vai conseguir outro salário desse tão fácil..." Esses dias vi a imagem abaixo e levei ela muito a sério:


Meu coração sabe a resposta, ele sabe muito bem o que quer fazer. O que me segura agora não é mais o dilema em si, porque já refleti bastante sobre ele, agora é só uma questão de tempo. Existem maneiras, formas de flexibilizar. Não precisa largar tudo, abandonar o barco à deriva. Dá pra estudar um pouquinho ali, trabalhar de forma mais autônoma no sentido de autonomia pra gerir seu tempo e horário de forma que seja possível não estar tão ausente. Até porque os filhos também admiram as mães batalhadoras, que conseguem construir sua vida profissional e se realizam com isso também. Ouvi ou li esses dias: "Carreira se retoma, o crescimento dos filhos não". Fato. 


quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Ahh, o tempo x Há tempo

O título é a demonstração exata de como me sinto! Ahh, o tempo é no sentido de como ele já passou e como eu queria que não tivesse sido tão rápido! Há tempo é a certeza de que, como já dizia o sábio Salomão, há tempo para todas as coisas!



Uma amiga de longa data postou um texto no seu facebook despedindo-se lindamente de uma looonga fase da vida dela, fase que passou! PASSOU?! Como assim?! Sim, já se diz fase, porque ela passa e tem sempre a próxima! 

Eu costumo refletir muito e prestar atenção em pequenas coisas pois creio firmemente que o agir de Deus está presente em tudo na nossa vida, inclusive nos detalhes. O feriado de carnaval está chegando e desde sempre (tipo, uns 11 ou 12 anos) passo essa data no Congresso de Jovens da igreja luterana. Esse ano, será em Bonito e estarei lá no sábado e domingo. Mas se eu disser que nada mudou estarei mentindo! Antes, eu ia sábado e só voltava na terça, quando acabava! Antes, eu estava envolvida na noite cultural, nos esportes, nos estudos, em tudo, tudinho mesmo até demais! E agora não é mais assim... isso não me pertence mais! Rsrs

A vida muda, o tempo passa, vem o trabalho que não faz a "ponte" na segunda, vem o filho que precisa do nosso tempo, da nossa atenção e já não conseguimos mais nos dedicar a tudo que fazíamos antes, vem a idade  a maturidade e nos leva por caminhos diferentes, caminhos que espero eu serem os desígnios de Deus. 

Preciso destacar que chegando pertinho dessa data, deu aperto no meu coração e eu disse pro meu esposo: "Ai, que vontade de ficar lá no congresso todos os dias". Ele, que sempre é quem me traz a realidade e fala muitas coisas que eu preciso mas nem sempre quero escutar, disse, de um jeito bem de homem mesmo: "Amor, você precisa entender que já deu!". Essa frase ficou ecoando em mim, e por mais que em primeiro momento eu não quisesse aceitá-la, ela é verdade! Já deu! Já vivemos essa fase e vivemos muito bem, diga-se de passagem, dedicamos nossa juventude ao Senhor, participamos e fizemos parte de cada um dos congressos de jovens! 

E agora crescemos, é outra fase! Relutei enquanto foi possível, e ainda poderei viver esses dois dias do início do feriado de carnaval como jovem e com certeza aproveitarei cada segundo! Eu sou jovem, mas uma jovem senhora, com novas responsabilidades e desafios! Responsabilidades que me alegram e desafios que às vezes pesam, mas não os carrego sozinha nunca! E a responsabilidade do trabalho, do casamento, da casa, do filho e de outros filhos que possam vir faziam parte dos meus sonhos e planos, que hoje se encaixam na nova fase! 

A fase das servas, das mulheres que servem ao Senhor e aos outros e que, surpreendentemente Deus me conduziu à presidência! Esse não era o meu plano, pelo menos não tão cedo, mas foi o plano de Deus, foi o que Ele fez, então deve ser onde Ele quer que eu esteja! A vontade dEle é sempre, boa, perfeita e agradável, mesmo que nos custe aceitar de pronto! Mas posso dizer com sinceridade: "Aqui estou, Senhor, ao seu dispor". E logo mais, tenho certeza de que, se Deus quiser, estarei revivendo toda minha juventude levando meus filhos por esse caminho...



sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Graças a Deus

Antes de começar a trabalhar costumo sempre dar uma lida nas notícias, ou pelo menos, em algumas delas. E hoje, talvez por ser mãe ou um ser humano, uma manchete me chamou atenção:

"Uma americana de 37 anos parou o carro que dirigia em uma rodovia na Flórida, nos Estados Unidos, e passou a clamar por ajuda após seu sobrinho de cinco meses passar mal. O bebê, Sebastian de la Cruz, que nasceu prematuro e com dificuldades respiratórias, começou a ficar roxo – deixando sua tia, Pamela Rauseo, em pânico." Fonte: http://g1.globo.com/mundo/noticia/2014/02/mulher-para-carro-em-rodovia-e-clama-por-ajuda-para-salvar-bebe-nos-eua.html

A primeira coisa que me veio a mente, após terminar de ler toda a notícia e saber que bebê estava no hospital, mas passava bem foi "Graças a Deus"

Graças a Deus pela tia que apesar de estar dirigindo conseguiu ter atenção e perceber o que estava acontecendo com o bebê. Digo isso porque também sou mãe de um bebê que nasceu prematuro e uma de minhas preocupações sempre era sair com ele sozinha, dirigindo, porque o bebê conforto ficava virado e eu não conseguia vê-lo. Eu não tinha o espelho que dá pra por no vidro de trás e permite a visão do bebê. 

Graças a Deus porque além de prestar atenção ela agiu rápido, tentando reanimar o bebê e chamando por ajuda!

Graças a Deus porque pessoas solidárias ainda existem e vendo o que estava acontecendo  foram ajudar ou buscar socorro. Porque não ficaram nervosos porque o trânsito parou causando congestionamento e poderiam atrasar para chegar aos seus destinos!

Graças a Deus porque uma mãe deixou seu filho que estava bem no carro para ir ajudar, graças a Deus pelo fotógrafo que antes de registrar o momento gritou para que um policial viesse ajudar. Graças a Deus pelo policial que, preparado, conseguiu reanimar o bebê para que ele pudesse chegar com vida ao hospital.

Graças a Deus, foi o que me veio à mente e aos lábios ao ler a notícia, depois de ver a cena e me colocar na situação:

Pamela Rauseo tenta fazer seu sobrinho de 5 meses voltar a respirar no meio de rodovia nos EUA (Foto: The Miami Herald, Al Diaz/AP)

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Falando de livros

Dentre as coisas que mais gosto desde que me entendo por gente está a leitura. Amo ler, não de tudo, tenho um gosto meio seletivo rsrsrs. Já li muitas estórias, romances, ficções, mas hoje prefiro leituras que poderão edificar alguma área da minha vida (mas também leio porventura algo que me desperte a curiosidade). 

Ler é simplesmente maravilhoso, além do que já sabemos, que amplia o vocabulário, aprimora o português, quando a leitura é de conteúdo, pode nos ajudar a melhorar muita coisa em nossa vida. Tenho grande facínio por compartilhar experiências...boas e ruins! Todas tem seu valor.

E justamente por isso, vou falar especificamente do último livro que li: "A experiência da mesa", Davi Titus. Trata-se de um livro cristão, que fala da experiência da autora com a mesa das refeições. Ela defende coisas que talvez já saibamos, mas não damos a devida atenção. Já sabemos por exemplo, que se treinamos a criança pra ficar à mesa, sentada nas refeições, ela terá mais facilidade de permanecer sentada na carteira da escola.

Mas o livro vai muito além disso. Ele é muito mais profundo. Filha de cristãos e esposa de pastor, a autora relata experiências reais, vividas por ela, à mesa. À mesa pode ser o único tempo que a família passa reunida no dia, se olhando nos olhos, conversando, ensinando e aprendendo princípios para a vida como ser educado, dividir, ouvir, entre tantas outras coisas. 

Vale a pena a leitura para reflexão e claro, por em prática pra quem concordar que sentar a mesa e comer junto pode ser algo muito maior do que apenas alimentar o corpo!



segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Por acaso...

Nem tudo na vida deve ser totalmente programado, na minha opinião é claro! Um pouco de rotina é bom e traz segurança, mas viver engessado sem nunca sair dela também implica  perder muitas experiências...

Acho que o que vale mesmo é o equilíbrio, gosto muito dessa palavra e acho que ela se aplica a praticamente tudo na vida! Mas acho que tô saindo do foco desse post...rsrs O título é por acaso não por acaso hahaha

Semana passada, na terça-feira eu acho, os três moradores da nossa casa foram se arrumar pra dormir. Fizemos o mamá, escovamos todos os dentes e fomos trocar de roupa e ... xiiiii pacote de fralda vazio!!! De noite, todos recolhidos e empuleirados no andar de cima, carro guardado... Pensei se daria mais trabalho sair pra comprar fralda ou lavar lençóis mijados no dia seguinte! Rsrsrsr Como lavar lençóis era no DIA SEGUINTE, resolvemos arriscar: "Filho, você vai dormir sem fralda essa noite, se quiser fazer xixi não faz na cama, chama a mamãe!"

Na manhã seguinte, perto das 6h colocamos ele dormindo mesmo pra fazer xixi e ele fez e assim a cama acordou  (não, cama não acorda) amanheceu sequinha! E na noite seguinte repetimos a faceta e lá se foram 06 dias do Loreco dormindo sem fralda!

A gente não esqueceu de comprar fralda de propósito, claro! Foi por acaso mesmo! Ninguém lembrou que tinha sido usada a última, o dia passou e pronto! Quem dera se tudo na vida fosse tão simples assim...hahaha Claro que ainda acho que o colchão do Nathan algum dia ainda vai ser batizado com o xixi dele, mas isso faz parte do processo! O fato é que por acaso, sem planejar, saiu das fraldas até de noite! E olhem que curioso: de dia ainda "escapam" alguns xixis quando ele tá muito concentrado brincando e geralmente  não pede, tem que ser levado pra fazer!

Boa semana e até a próxima pessoal!

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Pilateando

Não é de hoje que muitas pessoas estão procurando cuidar da saúde. Tirando uma parte da galera que só quer desfilar com as roupas de ginástica, as pessoas conscientes buscam alguma atividade física aliada a uma alimentação mais saudável. Não sou do tipo extremista, 8/80, mas com bom senso, tento cuidar do corpo e da mente praticando esporte e balanceando a alimentação. 
Recentemente aderi ao Pilates. Eu já tinha muita vontade de fazer quando via fotos de exercícios ou matérias a respeito dos benefícios dessa atividade, só que ou não tinha dinheiro ou não tinha tempo. Não que agora eu tenha algum dos dois, rsrsrs, mas tô me esforçando pra conseguir ir adiante nesse projeto.
Pra quem ainda não conhece de perto, o pilates trabalha muito com a respiração e força, e pode ser feito apenas no solo ou utilizando aparelhos. É diferente da academia, os pesos são substituídos pelas molas ou pelo peso do seu próprio corpo em determinados exercícios. 
Particularmente, estou gostando muito da experiência. Tem dias que saio do trabalho super cansada e estressada, junto minhas forças pra ir pra lá e uma horinha já me faz muito bem. Além de ser um tempinho bem precioso pras mulheres que acumulam várias atividades. Vou embora relaxada e com a sensação de missão cumprida. 
Como incentivo, fica uma das frases famosas do criador do método, Joseph Pilates: "Com 10 sessões você perceberá a diferença, com 20 sessões os outros irão perceber a diferença e com 30 sessões você terá um novo corpo". 
Alguns exercícios que eu já fiz:

video